Jesus, o Herói Afetuoso

Tende cuidado, irmãos, jamais aconteça haver em qualquer de vós perverso coração de incredulidade que vos afaste do Deus vivo.

Não temos a menor dúvida que nos dias de hoje, fabricamos nossos heróis. É indiscutível que todos nós precisamos de heróis. Isto é comum no ser humano. Entretanto, presidamos estar atentos para as propagandas sobre heróis enganosos. Há pessoas e personagens da “banda do mal”, homens e mulheres de moral dúbia ou até mesmo de moral declaradamente má que se mostram ou são apresentados como heróis, mas na verdade não são.
Ao mesmo tempo somos invadidos por idéias, por filosofias propagandistas e por outros tipos de pensamentos e por outros tipos de pensamentos presentes em heróis fictícios que, inclusive nos tiram da realidade. Por exemplo, todos nós quando criança, gostávamos muito de assistir filmes como Supermam, Batmam e Robim e quantos outros que não lembramos, elegemos nossos heróis e quantas vezes nos vimos na pele daqueles heróis, quantas vezes sonhamos ser iguais a eles, podendo voar em velocidade maior que a bala de um revolver, sendo invulnerável, tendo um batcar (carro do Batmam) e tantas outras coisas que nos tiravam da realidade neste tempo passado.
Só que de repente, com o passar do tempo, caímos na realidade, vemos uma a vida cruel que está a nossa frente e em muitos momentos estamos impotentes diante das crueldades. Os heróis que sonhamos são impotentes e irreais, foi um tempo dos sonhos e que, em muitos causaram grandes danos.
A verdade única é que na Igreja conhecemos nosso Herói verdadeiro. Na Igreja aprendi quando criança e vivia estes dois momentos “Igreja e Mundo”, aprendi lições básicas sobre Jesus, o qual se tornou meu Herói de verdade. Quando criança, aprendi que Jesus trabalha dentro da realidade da história e não em um ambiente de ficção. Ele falou e fala sempre a verdade. Aprendi que Ele não era invulnerável, ao contrário podia ser tentado em tudo ( H.4.15) e tinha a forma e a essência humana. Aprendi que Ele sofreu muito, que foi ferido devido aos meus pecados, que travou batalhas com o inimigo, e que em tudo saiu vencedor.
Como tenho saudade do tempo de criança e dos heróis fictícios, não podemos dizer, que não faz parte da vida de uma criança, só precisamos conduzi-las ao verdadeiro Herói da Vida! Jesus Cristo o maior! Isto é imprescindível!
Através da Igreja e seus preciosos ensinamentos, elegi Jesus Cristo meu Herói. Com o passar do tempo fui crescendo e aprendendo mais sobre Jesus afetuoso, sobre Sua maneira sempre gentil de tratar as pessoas, sobre o amor demonstrado e disponível, sobre o grande Herói que Ele é.
Aprendi a ser seletivo, a olhar o caráter de quem se diz herói. Na verdade Jesus Cristo é nosso maior amigo , é o que merece nossa exclusividade, é nosso Herói afetuoso que ensina o verdadeiro sentido da vida.

Diácono Rilvan Stutz
Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.