NATAL, ALEGRIA OU DOR?

Dezembro é um mês de muitas expectativas. Por exemplo, em muitas famílias, ricas ou pobres, é um mês vibrante! As festas são ansiosamente esperadas, todos se mobilizam no sentido de se concluir seus sonhos, sejam individualmente ou em família, Sabemos, nem todos alcançam o seu desejo, fica apenas uma minoria privilegiada, ficam com as glórias de suas realizações. Sabemos por outro lado à tristeza surge, frustrando multidões, trazendo uma grande dor, os sonhos foram embora, por algo não alcançado e já impossível de serem realizados o tempo é curto, sabemos, isto se repete, ano a ano.

Dezembro mobiliza as Igrejas os coros e outros grupos se preparam para os musicais de alto nível, uma vez que todos esperam que programações musicais sejam de grande enlevo espiritual e com um bom nível técnico. No lado do comércio a expectativa também é grande. Lojas fazem investimento do pessoal e mercadoria prevendo excelentes vendas. As propagandas comerciais veiculadas de diversos modos chamam a atenção do consumidor, fazendo com que ele gaste “aquela parcela do 13º salário” em produtos sempre especiais. As pessoas que são massificadas pelas propagandas, tendo, com isto, o seu desejo aguçado, formam filas nas lojas, acordam cedo para ir aos shoppings, e saem felizes exibindo suas sacolas de compra.
Entretanto, há uma parcela da população que vê tudo isto, mas imobilizada pelo sistema não tem acesso ao mundo consumista. É uma parcela de pessoas que vivem na miséria e que, de alguma forma também tem expectativas de um “natal feliz”. Não estou dizendo que natal feliz significa consumir coisas; mas não podemos fechar os olhos ao fato de que comprar, presentear, receber presente é parte do processo da alegria comum em épocas como esta que estou a falar.
Pensando nas pessoas realmente carentes é que devemos com todo amor, afeto e carinho, chegar bem juntinho a esta massa sofredora, faze-las entender o verdadeiro significado do natal, sem “dor”. Mostrar o maior presente que está a nossa frente, “a Salvação, oferecida por Cristo e seu doloroso sofrimento pela humanidade “Dor” de Cruz. Dor. Não poderia haver presente maior, Jesus Cristo à frente de nossas vidas, à frente dos presentes, dos shoppings, o nosso verdadeiro sonho o nosso principal objetivo que dura para sempre, não cai no esquecimento, como um brinquedo que quebra, festas que acabam rapidamente.
Gostaríamos de deixar para esta massa gigantesca que lotam o comércio, para os que assistem tristemente este grande “vai e vem”, a verdadeira razão do natal e que também fique para cada um de nós, a preocupação no proceder em relação a está data. A bíblia nos deixa preciosos ensinamentos e gostaríamos de estar avivando e enumerando alguns:

O VERDAEIRO SIGNIFICADO DO NATA!!
Seu nome é Jesus porque Ele salvará o Seu povo dos pecados (Mateus 1:21)Seu nome é Emanuel, que significa Deus conosco, porque Ele foi maravilhoso em Seu nascimento, em Seu viver, em Sua morte em Sua ressurreição, tornando-se para nós da parte de Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção (1 Co 1:30 ). Seu nome é Conselheiro porque nEle estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento (Cl 2:3). Seu nome é Deus forte porque Ele possui todo o poder no céu e na terra (Mateus 28:28; Cl 2:10). Seu nome é Pai da Eternidade porque permanece para sempre (Hb 7:24). Seu nome é sobre todo o nome (Fp 2:9,10), porque Ele é o Cristo, que quer dizer Messias, o ungido do Senhor, cujo Reino não terá fim, pois Ele é o Filho de Deus. Diante do qual deverá se dobrar todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, porquanto Ele é o Rei dos Reis e o Senhor dos Senhores. (Fp 2:10;Ap 19:16).
Desta forma, devemos nós agarrar a todas estas promessas, encarar as dificuldades, em comunhão com nosso Senhor Jesus Cristo, o Salvador Eterno. Sendo assim, passemos esses momentos com Cristo no comando de nossas vidas, agradecendo tamanha graça, vivendo o verdadeiro Natal (Sua vinda). O sacrifício, à dor sofrida, traz a recuperação, comunhão, alegria o consolo para toda a família Cristã. Vivamos o natal abraçados com nosso Senhor Jesus Cristo.
Para que, como está escrito: Aquele que se gloria, glorie-se no Senhor. (Co.1:31). Amém.

Diácono: Rilvan Stutz
Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro –
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.