Páscoa e Santificação

Elias de Oliveira
Grupo Está na Bíblia

 Leia: Êxodo 12.11-27

Nós, os servos de Deus, não somos desta terra, aqui estamos como estrangeiros, passando alguns dias, esperando o momento de partimos em definitivo para a pátria celestial e ali estarmos eternamente com o Pai amado.

Mas enquanto este dia não chega, é preciso viver nesta terra em meio as muitas lutas.

O Senhor disse: “... o mundo inteiro está debaixo do poder do diabo.” (1ª Jo 5.19) A comprovação desta palavra vemos nas barbaridades que os homens cometem entre si, e as loucuras praticadas contra Senhor; é a igreja que se envolve com os costumes da terra e os absorvem como corretos e inofensivos.

Nós que antes éramos chamados de “oliveiras bravas”, ao crermos, aceitamos pela fé o Senhorio de Jesus e fomos enxertados na “oliveira verdadeira” (Rm 11.17), tornamo-nos uma só árvore, feitos em filhos de Deus (Jo 1.12; Rm 8.14) somos participantes, súditos de Seu reino; por conseqüência estamos debaixo das leis e determinações deste novo reino.

Sabemos que páscoa é sinônimo de libertação (Ex.1217,42; Dt 16.3), sua instituição foi ordenada por Deus ( Ex 12.1,2 e Jo 2.23) para comemorar a libertação dos israelitas do cativeiro egípcio. Entende-se também como início de caminhada, de mudança de rumos em direção a uma nova vida.

A comemoração pelos filhos de Deus deve ser contínua (Ex 12.28,50), Jesus sentava-se com seus discípulos e cuidadosamente participava (Mt 26,17-20).

Alguns aspectos que devem ser observados na celebração da páscoa:

a) Purificação ( 2ªCr 30.17; Jo 11.55):

A santificação, purificação da vida é uma ordem para os sacerdotes (pastores e autoridades da igreja) e toda a congregação para participarem da celebração e comerem do cordeiro pascal. Os Impuros jamais poderá participar da mesa. Na preparação os israelitas, jejuavam, oravam e praticavam outras formas de purificação.

Hoje:

A purificação ou santificação é uma palavra quase em desuso no meio cristão. Notadamente, muitas vezes,a igreja tem andado de mãos dadas com o mundo, afinal tudo é natural e normal. Assim os costumes e práticas implantadas pelo diabo, tem entrado e encontrado lugar nos corações. Infelizmente nos dias atuais, a Palavra precisa ser interpretada, ou seja, moldada segundo as muitas doutrinas de cada instituição.

b) Excluíam o fermento (Ex 12.19,20):

Nesta fase preparatória, de purificação, o fermento era totalmente excluído da alimentação, devido a sua significação (pecado).

Hoje:

É perfeitamente válida esta palavra e nos dias que antecedem a esta tão importante celebração, os servos devem tirar por completo os produtos fermentados de sua alimentação. Honrem ao Senhor em sua fé.

c) Ofertar ( Lv 23.10,14):

Quando os israelitas iam comemorar a páscoa, era costume trazer uma oferta ao Senhor, naquela época geralmente produtos da terra.

Hoje:

Trazer oferta voluntária ao Senhor ainda precisa ser praticado.

O diabo ao longo dos séculos vem travando uma luta extremamente violenta contra o reino dos céus. Tem usado de todas as suas armas para implantar o seu reino, e tem conseguido êxito. Muitas vezes a sua forma de agir é explícita, todos olham e vêem; outras, as estratégias estão camufladas, e apenas os que “têm olhos” podem ver a ação devastadora do maligno. Em relação à páscoa a estratégia é camuflar o mal, desvirtuar o objetivo principal.

Abra os olhos e veja:

Como a igreja comemora a páscoa hoje?

Com coelhos e ovos de chocolate, práticas estas trazidas do paganismo e largamente aceita pelos “crentes”, que chegam ao cúmulo de presentearem seus filhos e uns aos outros com estes objetos; tudo isto é comum aos homens ímpios.

O diabo chegou ao extremo de colocar um coelho (animal listado pelo Senhor entre os impuros, lado a lado com os porcos e outros . (Lv 11.6 e Dt 14.7,8), como representação do Senhor Jesus (o cordeiro). E todos concordam !

Semelhantemente, acontece com o natal, usas-se um velhinho gordo, renas e trenó, árvores, bolas, estrelas e outros; tudo herança do paganismo, para fazer o homem lembrar de Jesus; com certeza lembram-se de dar e receber presentes.

Igreja do Senhor Jesus Cristo, é tempo de acordar para a voz do Espírito Santo e permitir a sua ação em seu seio, limpando o acampamento destruindo os “deuses do lar” ( Is 31.7), desfazendo-se das coisas amaldiçoadas; para que haja paz no meio do arraial.

Fechar as porta para o diabo e suas estratégia é uma ordem do Senhor Deus.